Blogs da familia


Conheça a tecnologia que torna as TVs do futuro tão belas


A CES deste ano foi enorme e repleta de coisas de encher os olhos — a beleza de ficção científica que sempre imaginamos e desejamos. Hoje vamos dar uma olhada no futuro das telas. OLED? 8k? Tela de Cristal? O que tudo isso significa? Explicaremos todas as novidades. Vale a pena lembrar que muitas das super ultra HDTVs estavam apenas em forma de protótipo quando as vimos. Nós podemos não saber todos os detalhes relevantes (preço? Que preço?) em coisas que ainda vão demorar para chegar ao mercado, mas isso não nos impede de ficar babando nas novas e fantásticas tecnologia das TVs. Então feche seus olhos, abra o seu coração e deixe que os pixels fluam por sua alma.

OLED

De todas as novas tecnologias, a que você provavelmente já ouviu falar mais foi a OLED. E por um bom motivo: você pode ser capaz de comprar uma este ano. Isso e o fato que elas são absolutamente lindas. Eu realmente parei e fiquei boquiaberto sempre que as vi na CES. E não fui o único, já que uma OLED abocanhou o nosso prêmio de melhor TV da CES.
Mas o que torna uma OLED tão boa? Ela cria sua própria luz. OLED significa Diodo Orgânico Emissor de Luz – e é a parte do orgânico que faz toda a diferença. Diferente de uma tela LCD, que requer uma fonte de luz para que você possa ver o que está acontecendo na tela, uma TV OLED usa uma camada de materiais orgânicos que acendem por sua própria conta quando aplica-se eletricidade – sem necessidade de uma fonte externa. Pense nela como um vagalume, ou um desses assustadores peixes brilhantes que vivem nas profundezas do oceano. Mas está na sua TV! Falando mais tecnicamente, é o mesmo princípio que faz com que o seu relógio digital ou rádio relógio acender.
Então o que acontece quando cada pequeno pixel na sua TV cria sua própria luz? Cores super vívidas e precisas que não ficam lavadas ou escurecidas pela retroiluminação. Pretos super profundos – novamente, a falta de retroiluminação significa escuridão de verdade. O ângulo de visão também deixa de ser um problema, assim como a espessura, os painéis de OLED são mais finos que uma caneta.
O ponto negativo, como você deve ter imaginado, é o custo. Como qualquer tenologia nova e maravilhosa, ela não vai chegar sem detonar com a sua conta bancária. Samsung e LG, as duas fabricantes que investiram mais em OLED até agora, não deram um pio sobre quanto as suas respectivas TVs de 55” irão custar esse ano. O que significa que serão bem caras. Hoje, as TVs top de linha de LCD com LED da Samsung saem na casa dos R$ 10.000. Espere um aumento significativo sobre isso.

Tela de Cristal da Sony

Sony, querendo ser diferente como sempre, não apareceu com um modelo OLED este ano. Ao invés disso, ela mostrou sua própria invenção bacana: Tela de Cristal. Parece chique! Mas do que se trata?
A TV LCD na sua sala de estar funciona ao criar pixels de transistores individuais, e todas os pixels juntos são acendidos por um arranjo de luzes traseiras. A TV é iluminada como uma lanterna – sem a retroiluminação, os pixels são escuros. Uma TV LCD decente dos dias atuais usa uma retroiluminação em LED sem cor para iluminar a tela por trás. Está acompanhando? Muito bem.
Mas não existem LEDs coloridos também? Minha árvore de natal diz que sim! Então o que a Sony fez foi parar de separar completamente pixels e luzes. A empresa estalou os dedos e proclamou, Danem-se os pixels acesos por LEDs – vamos usar LEDs como pixels. Isso significa que cada pequeno ponto vermelho, verde e azul em uma Tela de Cristal é na verdade um pequeno LED – uma tela inteira feita das luzes usadas para a retroiluminação, se quiser pensar dessa maneira. Seis milhões delas. Pense na Tela de Cristal como um Lite-Brite gigante e lindo.
Com cada pixel criando sua própria luz – bem como uma tela OLED – você ganha muitos dos mesmos benefícios mencionados acima. As cores são significativamente mais vivas e nítidas, o contraste de cor e os níveis de preto são excelentes, e o ângulo de visão é tão bom quanto você já desejou que ele fosse (a menos que você queira assistir TV por trás da tela).
A Tela de Cristal tem seus pontos negativos também; o maior é que ela ainda é experimental nesse momento. Sem entrar no papo sobre OLED, é sensato assumir que a Sony irá escolher a Tela de Cristal como sua tecnologia de próxima geração para TVs, mas eles não falaram nada sobre quando poderemos encontrar essa tecnologia nas lojas e quanto irá custar. Algo pelo próximo ano é uma expectativa realista, se a Sony quiser evitar que os early adopters escolham a OLED. De qualquer maneira, isso será apenas para ricos por algum tempo. Foi mal. Hora de fazer amizade com pessoas ricas!

4k

4k soa legal, né? 4k. E com sorte, ela também significa algo legal. Mas diferente da OLED e Cristal, 4k não é uma nova tecnologia para telas. É um novo formato HD – maior e melhor.
Quão maior? 4k leva esse nome ao arredondar uma resolução (normalmente de) 3840 x 2160 para 4000. Grosseiramente falando, isso é o equivalente a quatro TVs 1080p agrupadas. E isso é…muito HD.
Agora, por  que isso importa? No momento, não importa muito. Não há nada para assistir na resolução de 4k, e os benefícios nesse momento só são realmente notáveis quando se trata de distância recomendada. Basicamente, se você estiver mais perto da sua TV 4k assistindo a um filme em 4k (no ano de 4k?) você não irá notar tanto os pixels individuais. Imagem mais nítida e suave.
Isso é uma mudança significativa, até mais do que uma tela OLED ou Cristal. Uma mudança de 1080p para 4k significa que todos os canais de TV, vídeo games e filmes precisam mudar também. Nada no mercado atual pode tirar vantagem do 4K – nenhum disco pode ficar bonito em uma tela tão grande. Mas lembre-se que isso foi exatamente o que aconteceu durante a mudança da definição padrão para HD, e entre 720p e 1080p. É uma mudança que requer tempo e dinheiro, mas é inevitável. Os dias do 1080p estão contados.


8k

A mesma coisa que dissemos para o 4k, mas multiplicado. Contemple uma tela 7680 x 4320 – isso são 33 milhões de pixels ou 16 TVs 1080p juntas. Isso são PIXELS PRA CARAMBA. Mas é mais do que apenas os malditos pixels – uma imagem 8k cria um a mudança visual pequena que faz toda a diferença, apresentando uma imagem resplandecente e nítida e mais incrivelmente realista do que qualquer coisa que você já tenha visto antes. Esses 33 milhões de pixels criam uma imagem mais realista do que qualquer tela 3D já fez até agora. E a distância recomendada? Hahah! Sente praticamente encostando o nariz na tela e você ainda verá detalhes.
Mas lembra daquele lance da multiplicação? Isso vale para o tempo que irá demorar para chegar ao mercado e para o preço também. Ela deve estar tão longe de 4k quanto a 4k está de nós agora. Estamos falando aqui de pelo menos uma década, talvez mais.
Mas a coisa mais importante sobre as coisas de ficção científica aqui? Elas são reais e estão chegando. É fácil de ser eleita a imagem digital mais bela já criada para a sua vida pessoal. E issocom certeza vale a espera.

Postar um comentário

 
Top